terça-feira, 22 de janeiro de 2013

A Moça Mais Bonita da Cidade

Sabe aquela moça, a mais bonita da rua? Aquela que o filho do fazendeiro, do comerciante mais rico e o filho do prefeito querem namorar? Pois então, eis quem nunca fui nenhum desses abastados; era apenas um reles menino esquecido, cuja única coisa a oferecer a essa moça (sabe-se lá quem) foiesse conjunto breve de versos.




A Moça Mais Bonita da Cidade

A moça mais bonita da cidade
Desfila em seu vestido primavera.
O povo, que já sabe a hora, espera
A moça mais bonita da cidade.

Seu véu castanho é mel da divindade.
A boca, perfeição! Será quimera?
Endoida a flor, o sol, o moço, a fera
A moça mais bonita da cidade.

Nas curvas dessa moça a sanidade
Dos homens se despede e se esfarela;
Capaz de colocar um padre em cela
A moça mais bonita da cidade.

Por trás dos mil olhares a vontade
Insana de tocar-lhe à luz da vela.
Pergunta um forasteiro: "-Quem é ela?
É a moça mais bonita da cidade?!".

Carlos Witalo
15/08/2012

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

2013. Vamos andar de verdade agora.

Saudações, meus poucos e caríssimos visitantes.

Sem mais, deixo-vos mais uns versos meus:


O Cemitério

Os galhos o vento balança
E voz não se ouve a menor.
A lua no céu é criança:
Das nuvens brincando ao redor.

Na lápide um corvo descansa,
Grasnando seu cântico mor,
Enquanto mil corpos, sem dança,
Desfazem-se em ossos e dó.

Em meio à infinita tristeza
A Morte, infeliz e ilesa,
Mais quer devorar, ser maior.

E Cova, com grande fineza,
Conduz os mortais à beleza
Do fado do mísero pó.

Carlos Witalo.